27/10/2021
Home Paraná Oposição entra com ADI contra entrega das rodovias estaduais para o pedágio

Oposição entra com ADI contra entrega das rodovias estaduais para o pedágio

Os deputados de oposição apresentaram hoje (23) no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a lei que autorizou a entrega, por 30 anos, da administração e exploração das rodovias estaduais à União para que sejam incluídas no novo modelo de concessão à iniciativa privada.

Na ação, elaborada pelo advogado Luiz Fernando Delazari, os parlamentares pedem que os efeitos da lei 20.668/2021 sejam suspensos liminarmente até o julgamento final da ADI.

De acordo com a ação, a medida é inconstitucional pois não há descrição detalhada no texto da lei das rodovias estaduais que foram delegadas à União. Conforme argumento da ADI, “não se sabe quais rodovias ou em quais trechos dessas rodovias serão objeto da delegação aprovada no projeto de lei. Seria como se o estado fizesse um projeto de lei para vender bens públicos, sem indicar quais seriam esses bens”.

Além disso, o projeto não tramitou na Comissão de Fiscalização e Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa (Alep), que tem justamente a competência de fazer o acompanhamento e fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Estado.

“Entendemos que esta lei é inconstitucional. Não foi analisada pela Comissão de Fiscalização e Assuntos Municipais, uma importante comissão temática que certamente iria ampliar e qualificar o debate sobre o tema. Também, a lei não trouxe no projeto quais trechos e quais rodovias o Paraná está entregando para o governo federal pedagiar. É uma falha grave. Em outro ponto, o projeto não apresenta minutas do edital de contrato, os projetos de engenharia das obras que serão previstas”, explicou o deputado Professor Lemos (PT), líder da oposição.

O deputado Requião Filho (MDB) lamentou que a discussão de um tema tão importante, que vai impactar na vida e na economia do Paraná pelos próximos 30 anos, tenha sido feita de forma acelerada pelo governo Ratinho Jr. “Um tema tão sensível, de tamanha importância, que vai impactar por três décadas a vida dos paranaenses teve sua votação atropelada dentro da Assembleia Legislativa. Esperamos com essa ADI que a Justiça acolha nossas teses que demonstram a inconstitucionalidade da Lei sancionada no afogadilho, que sequer foi debatida devidamente pelas comissões do Legislativo. O Paraná deu um cheque em branco ao Governo Federal e diante disso não podemos nos calar”.

Além de Lemos e Requião Filho, subscrevem a ação os deputados Arilson Chiorato (PT), Goura (PDT), Mabel Canto (PSC), Soldado Fruet (PROS) e Tadeu Veneri (PT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Deputados pedem ao TJ suspensão do ensino domiciliar no Paraná

Os deputados de oposição na Assembleia Legislativa (Alep) apresentaram nesta terça-feira (26) ao Tribunal de Justiça (TJ-PR) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade...

Lemos denuncia fechamento das Casas Familiares Rurais (CFRs) no Paraná

O deputado Professor Lemos (PT) denunciou hoje (26) o fechamento das Casas Familiares Rurais (CFRs) no Paraná pela Secretaria de Educação (Seed)....

Lemos destaca produção de alimentos agroecológicos nos assentamentos e acampamentos do Paraná

O deputado Professor Lemos (PT) destacou hoje (25) a importância da produção agroecológica nos assentamentos e acampamentos do Paraná. Em discurso na...

Lemos pede punição a deputado que xingou e ofendeu Papa Francisco e lideranças católicas

O deputado Professor Lemos (PT) manifestou repúdio contra os xingamentos e ofensas do deputado estadual de São Paulo, Frederico D’Avila (PSL), ao...

Recent Comments