10/12/2023
Home Paraná Oposição entra com ADI contra entrega das rodovias estaduais para o pedágio

Oposição entra com ADI contra entrega das rodovias estaduais para o pedágio

Os deputados de oposição apresentaram hoje (23) no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a lei que autorizou a entrega, por 30 anos, da administração e exploração das rodovias estaduais à União para que sejam incluídas no novo modelo de concessão à iniciativa privada.

Na ação, elaborada pelo advogado Luiz Fernando Delazari, os parlamentares pedem que os efeitos da lei 20.668/2021 sejam suspensos liminarmente até o julgamento final da ADI.

De acordo com a ação, a medida é inconstitucional pois não há descrição detalhada no texto da lei das rodovias estaduais que foram delegadas à União. Conforme argumento da ADI, “não se sabe quais rodovias ou em quais trechos dessas rodovias serão objeto da delegação aprovada no projeto de lei. Seria como se o estado fizesse um projeto de lei para vender bens públicos, sem indicar quais seriam esses bens”.

Além disso, o projeto não tramitou na Comissão de Fiscalização e Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa (Alep), que tem justamente a competência de fazer o acompanhamento e fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Estado.

“Entendemos que esta lei é inconstitucional. Não foi analisada pela Comissão de Fiscalização e Assuntos Municipais, uma importante comissão temática que certamente iria ampliar e qualificar o debate sobre o tema. Também, a lei não trouxe no projeto quais trechos e quais rodovias o Paraná está entregando para o governo federal pedagiar. É uma falha grave. Em outro ponto, o projeto não apresenta minutas do edital de contrato, os projetos de engenharia das obras que serão previstas”, explicou o deputado Professor Lemos (PT), líder da oposição.

O deputado Requião Filho (MDB) lamentou que a discussão de um tema tão importante, que vai impactar na vida e na economia do Paraná pelos próximos 30 anos, tenha sido feita de forma acelerada pelo governo Ratinho Jr. “Um tema tão sensível, de tamanha importância, que vai impactar por três décadas a vida dos paranaenses teve sua votação atropelada dentro da Assembleia Legislativa. Esperamos com essa ADI que a Justiça acolha nossas teses que demonstram a inconstitucionalidade da Lei sancionada no afogadilho, que sequer foi debatida devidamente pelas comissões do Legislativo. O Paraná deu um cheque em branco ao Governo Federal e diante disso não podemos nos calar”.

Além de Lemos e Requião Filho, subscrevem a ação os deputados Arilson Chiorato (PT), Goura (PDT), Mabel Canto (PSC), Soldado Fruet (PROS) e Tadeu Veneri (PT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Oposição entra com ADI contra lei que proíbe passaporte da vacina no Paraná

Os deputados de oposição na Assembleia Legislativa (Alep) apresentaram uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR)...

O que é o Teto de Gastos e como ele afeta o Brasil

Entenda o que é o Teto de Gastos e como ele prejudica a saúde, a educação e a geração de empregos, entre...

Aprovado projeto que cria o Selo Estadual Empresa Pela Mulher

Estimular boas práticas empresariais para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, bem como fomentar liderança corporativa de...

Terceirizações e privatizações no Ensino Médio preocupam educadores

Por Thiago Alonso/Alep “Não está tendo professor no curso. Não fomos informados que teríamos aula remota. Agora, a aula passa...

Recent Comments