29/11/2020
Home EDUCAÇÃO Lemos pede suspensão imediata de edital que altera critérios para contratação de...

Lemos pede suspensão imediata de edital que altera critérios para contratação de PSS

Em discurso, nesta quarta-feira (4/11) na Assembleia Legislativa (Alep), o deputado Professor Lemos (PT) pediu a suspensão imediata pelo governo do Estado do edital que altera os critérios para contratação de professores pelo Professo Seletivo Simplificado (PSS). Lemos alertou que, ao instituir a realização de uma prova presencial em plena pandemia do coronavírus, o governo está colocando a vida dos professores PSS em risco.

“Desde 2005, estes contratos são feitos de modo simplificado, e justamente neste momento, que estamos vivendo uma guerra biológica, enfrentando a pandemia do coronavirus, o governo convoca para fazer provas presenciais. É inoportuno. Este edital traz muitos prejuízos e põe em risco a vida dos professores, que terão que comparecer de modo aglomerado para fazer estas provas presenciais. Exigimos a suspensão imediata deste edital e a manutenção dos critérios que, há mais de 15 anos, são utilizados para contratar os professores”.

O deputado destacou a importância dos professores para o o ensino e aprendizado dos estudantes da rede pública e repudiou contratação sem licitação, pela Secretaria de Educação (Seed) de uma empresa privada ao custo de R$ 3,5 milhões para realizar o processo seletivo dos professores PSS.

“Temos excelentes professores. O resultado está nas avaliações do ensino, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). São muito importantes para a nossa educação. Não podemos expor os professores, colocar em risco o emprego de muitos professores que trabalham há ano no Estado. Além disso, o dinheiro que o governo está gastando faz falta para investir na infraestrutura das escolas, inclusive para pagar progressões e promoções dos funcionários de escolas e professores.”

Lemos ainda enalteceu as mobilizações que estão sendo realizadas em todo o Estado contra os ataques do governo Ratinho Jr. à educação e denunciou o “patrulhamento” do governo contra pais, professores e funcionários de escola no processo de implementação das escolas cívico-militares.

“É um absurdo que está acontecendo. O patrulhamento, o constrangimento feito aos pais, professores. É uma reclamação de várias comunidades escolares. Nas comunidades que reprovaram os colégios cívico-militares, está a retaliação. Isto precisa ter um ponto final. Há oito dias o governo vem prorrogando e pressionando para que a comunidade para votar sim para implementar a escola cívico-militar”, afirmou.

#mandatoLemos  #professorlemosnaluta  #lemossemprepresente #professorlemosnãopara #lemosnaAlep

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Lemos repudia discriminação e desrespeito do Governo com as mulheres professoras e funcionárias de escolas do Paraná

O deputado Professor Lemos (PT) destacou nesta quarta-feira (25) a importância do Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher e...

Governo não pode tratar a Educação com tanto desrespeito, destaca Lemos

O governo do Estado não pode tratar a Educação do Paraná com tanto desrespeito, afirmou hoje (23) o deputado Professor Lemos (PT)....

Aberta a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência Contra as Mulheres

No início da tarde desta sexta-feira (20/11), o deputado Professor Lemos participou da Audiência Pública remota, que abriu a Campanha 16 Dias...

Educadores mantêm acampamento e greve de fome

Em reunião realizada na tarde da quinta-feira (19), representantes da categoria, do governo Ratinho Jr. e os deputados Hussein Bakri e Professor...

Recent Comments