21/01/2021
Home MULHERES Lemos repudia discriminação e desrespeito do Governo com as mulheres professoras e...

Lemos repudia discriminação e desrespeito do Governo com as mulheres professoras e funcionárias de escolas do Paraná

O deputado Professor Lemos (PT) destacou nesta quarta-feira (25) a importância do Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher e a campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, que teve início no Paraná em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, e vai até 10 de dezembro, com a finalidade de combater a violência contra a mulher e lutar pelo direito ao respeito à vida, dignidade e cidadania.

Autor do projeto de lei que instituiu a campanha “16 Dias” no Estado, Lemos lembrou que a violência contra as mulheres se manifesta em ataques verbais, psicológicos ou mesmo físicos, mas também de outras formas.

“No Paraná, já aprovamos algumas leis que contribuem nesta luta fundamental, mas ainda é insuficiente, precisamos fazer muito mais. A violência contra a mulher é verbal, psicológica, física e chega ao feminicídio. Mas se manifesta também de várias outras formas. No mercado de trabalho, as categorias profissionais majoritariamente femininas são discriminadas, desrespeitadas e desvalorizadas”.

O deputado chamou a atenção para o fato de que, justamente no momento em que a sociedade se mobiliza contra a violência, em defesa da igualdade e da valorização das mulheres, o governo do Estado discrimina, desrespeita e desvaloriza as professoras e funcionárias de escolas do Paraná, que compõem majoritariamente a categoria dos servidores da educação.

“Na rede pública de ensino, 85% são professoras e mais de 90% são funcionárias de escola. E aí nós observamos qual o tratamento dado a esta categoria tão importante majoritariamente feminina. É tratada com muito desrespeito, com muita discriminação. É a categoria com o menor salário do funcionalismo, com uma carga horária de trabalho muito grande, com as piores condições de trabalho, e não é ouvida. Não é por acaso que temos professoras e professoras em greve de fome, em mobilização contra os vários ataques desferidos contra a educação, que é formada por uma categoria maioritariamente feminina”.

O deputado ressaltou que é preciso sair em defesa das professoras e funcionárias de escolas neste momento. 

“Mais uma vez fazemos um apelo ao governador, que valorize a educação, que respeite a educação, que não promova injustiças contra as professoras e funcionárias de escola, com as mulheres que são maioria dos servidores da educação no Paraná. É preciso suspender o Edital 47/2020, suspender esta maldita prova que será aplicada aos PSS, que se soma a tantos outros ataques contra a educação. Em pleno avanço da pandemia do coronavírus, o governo promove aglomeração com os servidores da educação. Veja o tamanho do desrespeito com as trabalhadoras, justamente contra uma categoria eminentemente feminina”.

#RevogaJáEdital47 #RespeiotoAosPss #ProvaÉParaConcursoPúblico #RetiraEdital47 #NãoÀTerceirização #RevogaJáProvaPSS #mandatoLemos  #professorlemosnaluta  #lemossemprepresente #professorlemosnãopara #lemosnaAlep

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Inflação maior para os mais pobres aprofunda a desigualdade

Os segmentos de “habitação” e “alimentos e bebidas” foram os que mais impactaram a inflação das famílias de menor renda. Já os...

Oposição vota contra projeto que amplia militarização das escolas

Os deputados de oposição votaram contra o projeto de lei do governo Ratinho Jr. que amplia a militarização as escolas da rede...

Lemos pede vistas e adia votação do projeto que amplia militarização das escolas

Um pedido de vistas do deputado Professor Lemos (PT) na reunião da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa (Alep), realizada no início...

Trabalhadores do campo e da cidade colhem quatro toneladas de feijão orgânico em mutirão

Nas terras do assentamento Contestado, na Lapa-PR, cerca de 100 trabalhadores do campo e da cidade se uniram em um mutirão de...

Recent Comments