21/01/2021
Home SERVIDORES PÚBLICOS Emendas preservam direitos dos servidores contra ataques do governo, anuncia Lemos

Emendas preservam direitos dos servidores contra ataques do governo, anuncia Lemos

Os deputados de oposição apresentaram nesta quinta-feira (10) um pacote de emendas ao projeto de lei complementar (PLC) 19/2020 para preservar os direitos dos servidores públicos contra os ataques do governo do Estado. Entre as emendas está proposta que exclui do PLC os artigos que condicionam o pagamento de promoções e progressões à disponibilidade orçamentária e financeira e à publicação de Decreto do Governador, medidas que inviabilizam os avanços nas carreiras.

“Nós apresentamos emendas para retirar todas as crueldades que o governo está fazendo contra os servidores públicos. O Estado está terminando o ano com superávit, não é uma questão financeira, é ideológica. O governo quer destruir o serviço público, atacar o servidor público, é o Estado sendo governador por ricos e somente para ricos, desprezando os trabalhadores e trabalhadoras”, anunciou Lemos, líder da bancada.

O parlamentar ressaltou que, na prática, o projeto mata a carreira dos servidores públicos do Paraná.

“O PLC traz vários ataques aos servidores e causa grande prejuízo ao serviço público do Paraná. É inconstitucional, atenta contra os planos de carreira dos servidores, congela as progressões e promoções, que são um estímulo para que o servidor se atualize. Na medida que o servidor vai estudando mais, vai oferecendo um trabalho melhor, mais qualificado para a sociedade. É injusto, é abuso contra os servidores. O governo atenta contra os usuários dos serviços públicos, contra a população. O governador está jogando uma bomba nos servidores públicos”.

Colocado em votação em primeira discussão hoje, o PLC foi aprovado com 38 votos favoráveis e 13 contrários. A oposição votou contra. Em seguida, na segunda votação, a oposição apresentou as emendas. Com isso, a votação do PLC, com as emendas, foi adiada para a próxima segunda-feira.

Além de Lemos, assinaram a emenda os deputados Anibelli Neto (MDB), Arilson Chiorato (PT), Goura (PDT), Luciana Rafagnin (PT), Requião Filho (MDB) e Tadeu Veneri (PT).

Confira abaixo as emendas apresentada oposição ao PLC 19/2020:

– Suprime todos os dispositivos que retiram direitos dos servidores públicos do Estado, entre eles os artigos 13 a 16, que estabelecem um teto para gasto com folha de pagamento do funcionalismo. Também exclui os artigos 37 a 68, que submetem o pagamento de promoções e progressões à disponibilidade orçamentária e financeira e à publicação de Decreto do Governador, inviabilizando os avanços nas carreiras.

– Determina que as ações do governo, previstas no Plano Plurianual, devem priorizar políticas de redução das desigualdades sociais.

– Inclui os Fundos Especiais do Poder Executivo, como o Fundo Estadual de Cultura, Criança e Adolescente, Idoso e Meio Ambiente, no grupo de Fundos que não podem ser fragmentos para a criação de caixa especial para o governo. Desta forma, a emenda impede que recursos de áreas prioritárias no financiamento das polícias públicas sejam utilizados para outras finalidades.

– Especifica que as informações referentes aos resultados do monitoramento e avaliação das políticas públicas, bem como o relatório de Resultado Qualitativo dos Programas de Governo, serão disponibilizados na página inicial do Portal da Transparência.

– Exclui dispositivo que estabelece que o Serviço de Assistência à Saúde (SAS) dos servidores públicos será custeado por recursos alocados nas unidades orçamentárias da Administração Direta, Indireta, dos Poderes, do Ministério Público, da Defensoria Pública e do Tribunal de Contas, uma vez que as unidades orçamentárias não são autônomas e resultam dos limites impostos pela Secretaria de Estado da Fazenda. Não há, portanto, justificativa para incluir o custeio do SAS nas unidades orçamentárias sem que haja disponibilização de recursos suficientes para o custeio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Inflação maior para os mais pobres aprofunda a desigualdade

Os segmentos de “habitação” e “alimentos e bebidas” foram os que mais impactaram a inflação das famílias de menor renda. Já os...

Oposição vota contra projeto que amplia militarização das escolas

Os deputados de oposição votaram contra o projeto de lei do governo Ratinho Jr. que amplia a militarização as escolas da rede...

Lemos pede vistas e adia votação do projeto que amplia militarização das escolas

Um pedido de vistas do deputado Professor Lemos (PT) na reunião da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa (Alep), realizada no início...

Trabalhadores do campo e da cidade colhem quatro toneladas de feijão orgânico em mutirão

Nas terras do assentamento Contestado, na Lapa-PR, cerca de 100 trabalhadores do campo e da cidade se uniram em um mutirão de...

Recent Comments