21/01/2021
Home Sem categoria Lemos sai em defesa dos servidores públicos e denuncia ‘jabuti' em projeto...

Lemos sai em defesa dos servidores públicos e denuncia ‘jabuti’ em projeto do governo

Em discurso nesta segunda-feira (14) na sessão remota da Assembleia Legislativa (Alep), o deputado Professor Lemos (PT) saiu em defesa dos servidores públicos e destacou as emendas apresentadas pela oposição ao PLC 19/2020. Entre as propostas, que preservam os direitos do funcionalismo, está emenda que exclui do PLC os dispositivos que condicionam o pagamento de promoções e progressões à disponibilidade orçamentária e financeira e à publicação de Decreto do Governador, medidas que na prática inviabilizam os avanços nas carreiras.

“Protocolamos seis emendas ao PLC 19, excluindo do texto todos os dispositivos que ferem de morte a carreira dos servidores públicos civis e militares, como as progressões, promoções, adicional por tempo de serviço. O projeto mata a carreira do funcionalismo. Os servidores do Executivo são os que recebem o menor salário do serviço público”, argumentou Lemos.

As emendas, apresentadas na última quinta-feira, foram apreciadas hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Como houve pedido de vistas ao substitutivo apresentado pelo deputado Hussein Bakri (PSD), a votação das emendas foi adiada para amanhã.

Em seu discurso, Lemos também denunciou a presença de um “jabuti”, como são chamados dispositivos nos projetos de lei que tratam de assuntos que não têm conexão com o objetivo principal da proposta, no PL 657/2020, que revoga o programa Tarifa Rural Noturna.

“O PL tem um dispositivo que é estranho à matéria, tem um ‘jabuti’. O governo está propondo revogar a lei que determina que a distribuição do lucro das empresas estatais deve ser feita de forma igualitária entre todos os funcionários. Por que o governador do Paraná tem interesse em beneficiar apenas algumas pessoas? É um desrespeito tão grande com os trabalhadores e trabalhadoras das estatais, que por lei têm o direito de receber de forma igualitária parte dos lucros. Queremos que o ‘jabuti’ seja retirado do projeto, pois contraria o interesse público, prejudica os trabalhadores que ganham menos. Somos contra!”.

O parlamentar também destacou a emenda da oposição ao PL 657 que garante que o Programa Tarifa Rural Noturna, que concede desconto de 60% na tarifa de energia elétrica entre 21h30 e 6h para cerca de 80 mil produtores rurais, seja mantido por tempo indeterminado pelo governo do Estado. 

Na última semana foi anunciado um acordo entre Poder Executivo e Assembleia Legislativa para custear o programa por mais dois anos. A emenda da oposição, contudo, propõe suprimir do projeto a revogação do programa, de forma que o Tarifa Rural Noturna seja mantido por tempo indeterminado, sem prazo de validade.

“O governo precisa manter o Tarifa Rural Noturna por tempo indeterminado, como uma política permanente. O fim do programa vai prejudicar principalmente os pequenos produtores, os produtores de leite, aqueles que têm criação de porcos, aviários, é uma medida muito ruim. O Tarifa Noturna é um programa muito importante para nossa agricultura, especialmente a agricultura familiar”.

Assim como o PLC 19, as emendas ao PL 657 foram apreciadas na CCJ hoje. Como houve pedido de vistas ao substitutivo do deputado Hussein Barki, as emendas serão votadas em plenário amanhã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Inflação maior para os mais pobres aprofunda a desigualdade

Os segmentos de “habitação” e “alimentos e bebidas” foram os que mais impactaram a inflação das famílias de menor renda. Já os...

Oposição vota contra projeto que amplia militarização das escolas

Os deputados de oposição votaram contra o projeto de lei do governo Ratinho Jr. que amplia a militarização as escolas da rede...

Lemos pede vistas e adia votação do projeto que amplia militarização das escolas

Um pedido de vistas do deputado Professor Lemos (PT) na reunião da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa (Alep), realizada no início...

Trabalhadores do campo e da cidade colhem quatro toneladas de feijão orgânico em mutirão

Nas terras do assentamento Contestado, na Lapa-PR, cerca de 100 trabalhadores do campo e da cidade se uniram em um mutirão de...

Recent Comments