27/05/2024
Home SERVIDORES PÚBLICOS Lemos destaca protestos em Foz e cobra do governo data-base do funcionalismo

Lemos destaca protestos em Foz e cobra do governo data-base do funcionalismo

“A luta dos servidores é uma luta santa, que precisa do apoio dos deputados e da população”, afirmou hoje (27) o deputado Professor Lemos (PT) ao destacar o protesto realizado por servidores públicos do Estado, de diversas categorias, em Foz do Iguaçu, pelo pagamento da reposição das perdas salariais provocadas pela inflação. O movimento, intitulado Dia do Basta!, cobrou o pagamento da data-base na Ponte da Amizade, bloqueando as duas faixas de acesso por cerca de 40 minutos. Participaram do ato educadores, profissionais da saúde, policiais civis, penais e militares, técnicos de instituições de ensino superior e trabalhadores do meio ambiente.

Em discurso na Assembleia Legislativa (Alep), Lemos ressaltou que o salário do funcionalismo está congelado desde 2016 e que a defasagem por conta do calote na recomposição da inflação é superior a 25%.

“Vamos chegar em janeiro de 2022 com seis anos sem a recomposição da inflação. O Estado empobreceu o trabalhador e suas famílias, tirando o poder de compra. Por isso os servidores estão em movimento. O governo não deixa de reajustar a energia elétrica, que subiu 49% desde 2016. A água subiu 47%. A cesta básica, que era R$ 391, subiu para R$ 608, um aumento de 55%. Também aumentou o combustível. A gasolina era R$ 3,24 e agora está R$ 5,76, 77% de aumento. Tudo aumentou! A luta dos servidores é uma luta santa, que precisa do apoio dos deputados e da população”.

O parlamentar lembrou que o governo aumentou a renúncia fiscal de grandes empresas para R$ 17 bilhões no próximo ano, mas ao mesmo tempo não paga o que deve aos servidores públicos.

“Na LDO deste ano foi aprovada uma renúncia fiscal desde ano de R$ 12 bilhões. No ano que vem, a renúncia fiscal vai ser de R$ 17 bilhões, R$ 5 bilhões a mais do que em 2021. Se o governo está dizendo que não pode pagar o que deve aos trabalhadores, mas ao mesmo tempo deixa de cobrar impostos dos ricos, algo está errado. Entendemos que o governo terá, inclusive, uma sobra de caixa de mais de R$ 5 bilhões no final deste ano e, portanto, precisa pagar o que deve aos funcionários públicos. O grande empresário não fica sem receber do estado. Agora, o trabalhador, o Estado deve para ele e não quer pagar. O governador Ratinho Jr. propôs, como candidato, a valorização dos servidores públicos, mas não está valorizando! O governo precisa receber, conversar com os servidores, e mandar para a Assembleia um projeto para repor a inflação dos salários dos servidores”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentário
Nome

- Advertisment -

Most Popular

Oposição entra com ADI contra lei que proíbe passaporte da vacina no Paraná

Os deputados de oposição na Assembleia Legislativa (Alep) apresentaram uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR)...

O que é o Teto de Gastos e como ele afeta o Brasil

Entenda o que é o Teto de Gastos e como ele prejudica a saúde, a educação e a geração de empregos, entre...

Aprovado projeto que cria o Selo Estadual Empresa Pela Mulher

Estimular boas práticas empresariais para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, bem como fomentar liderança corporativa de...

Terceirizações e privatizações no Ensino Médio preocupam educadores

Por Thiago Alonso/Alep “Não está tendo professor no curso. Não fomos informados que teríamos aula remota. Agora, a aula passa...

Recent Comments